quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Aniversário Letícia - 7 anos

Minha Lele fez 7 anos. Uau, como passou rápido.
Esse ano ela não quis fazer festa no colégio como nos últimos anos, então fizemos um churrasco na piscina para ela receber seus amiguinhos,
Deu trabalho, ficamos muito cansados, porque com bebê pequeno é barra, mas Deus foi misericordioso e fez tudo dá certo e ficou lindo.
Quando vi a alegria dela com seu amigos, eu fiquei tão feliz que pensei: faria tudo de novo! Sim, faria!
Olha a nossa festa: Tudo feito por nós! (que orgulho!)














terça-feira, 7 de outubro de 2014

E quando os filhos ficam doentes? O que fazer?



Minha filhotinha caçula  ta dodói. Que dó.
Semana passada era a minha Lelê, agora minha Bia. Nem preciso dizer que estou um caco né? Com ela é diferente porque não sabe dizer o que sente e só quer colinho e mesmo assim as outras tarefas ainda estão lá te esperando e você que achava q não tinha tempo, agora que não tem mesmo, Porque o bebê só quer você. 
Ah! E eu só queria que elas nunca adoecessem. Porque eu fico arrasada. 
E sabem o que faço? Largo tudo pra lá e só faço o que dá. Não pode ser diferente, né?
O pai ajuda e muito quando esta em casa e dessa vez ele teve que fazer as compras sozinho, porque eu não podia deixar o bebê chorando e nem levá-la. 
Enquanto isso, eu dou carinho (mais ainda) e remédio pra passar logo. E relaxo (quando dá), na hora das cochiladas eu faço uma coisa ou outra, sempre fazendo o que é prioridade (por exemplo: comida), o resto deixa pra depois.
Logo logo passa, porque o joelho nunca deixa de estar no chão e o Senhor cuida de mim e dos meus.

Fiquem na Paz!

Beijinhos

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Fraldas, qual a melhor?

Existem muitas fraldas no mercado e claro não usei todas, mas usei muitas e posso dizer que em comparação entre elas de 6 anos atrás muitas melhoraram bastante e outras caíram de qualidade.
Como mãe, eu quero o melhor pra minha filha e depois que acabaram as fraldas do chá (porque quase todas, com exceção de um pacote que realmente não gostei), eu passei a comprar a "melhor" para ela e para o bolso, é claro. Fui seguindo a que eu julgava ser a melhor, afinal, ela tinha um bom preço e sempre foi boa, pelo menos no tempo da Letícia, mas não é bem assim, a fralda que é umas das mais usadas, deixou a desejar e eu optei por não usa-la mais.
Durante dias acordei com a Beatriz molhada de xixi, a fralda não segurou o xixi da noite toda. Pensei: será que ela faz muito xixi? Experimentei então trocar no meio da madrugada, mas mesmo assim ela acordou molhada, e então percebi que a fralda não segura uma quantidade maior de xixi, como dizia e comprovei quando troquei para outra marca e super deu certo. Conclusão: Mudei de fralda e estou muito satisfeita e quanto ao preço, tem uma pequena diferença, que vale a pena, claro!!

Vou colocar aqui as fraldas citadas acima, com exceção daquela que citei dizendo que não gostei de jeito nenhum, ok? Quem quiser me escreva que respondo em particular.

Essa fralda deixou minha filha acordar molhada algumas vezes e não recomendo para uso dela a noite e nem para uso de muitas horas.
Essa foi a fralda reprovada para noite.




Essa fralda é muito boa tanto para a noite quanto para o dia, mas ela é um pouco mais cara, mas é uma boa opção.

Aprovada para noite, mas é mais cara


Essa foi a melhor escolha para mim, além de ajustar bem ao corpo, ela segura muito bem o xixi. E mesmo quando não faço trocas na madrugada, ela acorda bem cheia, mas não vaza. E o preço é bom, porque se difere muito pouco da primeira fralda, que tinha um bom preço.

Essa é a fralda escolhida. Hoje ela é minha preferida.



E qual a sua preferida?


Abraços

Carol

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Sobre a rotina, a vida e o minimalismo



Agora já estou conseguindo estabelecer uma "rotina" e isso me deixa bem mais calma, porque eu preciso mesmo de uma rotina, eu não gosto de não deixar pra depois e com bebê quase tudo fica pra depois, né? 
O bebê requer muita atenção e essa minha pequena não é mole, rs... mas agora o pouco que ela dorme durante o dia eu consigo fazer muitaaaa coisa, (to ficando boa em correr com as coisas, rsrsrs....), mas em resumo, pela manhã é mais tumultuado pra mim, mas consigo dá conta de: tomar café, ler a Bíblia (as vezes não dá), fazer almoço, ajudar a Letícia com o trabalho de casa, dá almoço para todos e entre tudo isso, dá mamar e fazer a Bia cochilar, uau eu sou demais!! kkkkk.... muitas vezes eu tenho ajuda do meu amado marido e da minha amada sogra, mas as vezes me viro sozinha mesmo, é que a Bia ta crescendo e agora já se distrai com um brinquedo ou com nossas brincadeiras, com tv não, ela não gosta muito não.
O que esta me ajudando muito para as coisas ficarem mais fáceis para mim é ler blogs e sites sobre organização e minimalismo. Ah, o minimalismo me entusiasma já tem um bom tempo, mas ainda não tive coragem de viver assim, porque ainda sou muito consumista, mas estou começando a mudar. Sei que vai me fazer muito bem, vou ter mais tempo e mais dinheiro e assim mais qualidade de vida.
Esta caindo a ficha que o menos é mais!

Beijos queridas!

Volto em breve!

sábado, 16 de agosto de 2014

Sacudir não pode!

Oi gente!

Achei esse artigo muito importante, e pra dizer a verdade era ago que eu desconhecia, então vou compartilhar com vocês.

É muito comum ver alguns pais sacudirem seus filhos como forma de acalmá-los em um momento de choro ou até durante uma brincadeira. Mesmo que isso não pareça importante, pode trazer consequências neurológicas para o desenvolvimento da criança. Há pouco tempo, postamos no nosso Facebook um vídeo de uma mãe fazendo ginástica com o filho em seus braços e sacudindo-o bastante. O vídeo gerou polêmica por causa da Síndrome do Bebê Sacudido, ou Lesão Cerebral por Abuso, que é uma  problema pouco conhecido pelos pais de primeira viagem. “O pico de incidência desse problema ocorre entre a 6ª semana e o 4º mês de vida, época que os bebês costumam chorar muito, por causa das cólicas”, explica Felipe Monti Lora, endócrino pediatra, do Hospital infantil Sabará e chefe do PS, e pai de Marcelo e Gabriel. Não há nada o que fazer depois que a criança for sacudida. Se o impacto for muito forte, pode provocar excesso de irritabilidade, a criança pode ficar mais quieta, ter tremores pelo corpo, perda parcial de visão e convulsões. Se os pais perceberem que os filhos estão com algum desses sintomas, devem levá-los ao médico para obter um diagnóstico e receber o tratamento. Em casos mais graves e se não houver cuidado médico, o quadro clínico pode piorar, causando até a morte da criança. “30% das crianças sacudidas morrem ou ficam com traumas permanentes, como paralisia motora, perda total da visão e dificuldade de aprendizagem”, alerta o médico. “Os pais devem ser aconselhados durante a visita com o pediatra para que esse tipo de situação não aconteça de jeito nenhum. Os especialistas devem explicar que bebês costumam chorar (e muito!), e que se ele estiver alimentado, limpo e confortável pode deixar abrir o berreiro. O que não pode é sacudir”, finaliza Lora.

Fonte: Pais e Filhos

domingo, 10 de agosto de 2014

Feliz dia dos Pais



Eu sou abençoada demais!
Tenho um pai maravilhoso que sempre foi muito presente e ainda é, que me deu muito amor e muita educação, mas o que ele me deu de melhor foi me ensinar a amar a Jesus Cristo. 
Deus tem sido maravilhoso conosco, Aleluia! Por isso desejo aqui meu feliz dia dos pais para o meu lindo pai e espero que ainda possa viver muitas datas como essa ao seu lado. Que Deus nos conceda vida e vida com abundância para desfrutarmo-nos.
Continuando na bondade de Deus, ele presenteou primeiramente a mim com um marido maravilhoso, e depois me deu duas filhas que têm o pai mais amoroso do mundo. Sou grata a Deus por ter me dado as melhores figuras paternas do mundo. Por isso também desejo meu feliz dia dos pais ao meu marido e pai das minha preciosas filhas. Que Deus lhe dê dias maravilhosos ao lado de seus filhos amados, que são herança de Deus!
Desejo a todos os verdadeiros pais, aqueles que se dedicam de verdade a paternidade com compromisso e amor um grande dia!

Abraços,

Carol

Minha falta de tempo pra escrever



Quanto tempo não venho aqui escrever, mas é que o tempo esta curto.
A Bia em vez de ficar mais tranquila vem tomando mais e mais o meu tempo porque ela é muito agarrada comigo, muito mesmo, eu fico pasma. A ponto de muitas vezes chorar estando no colo de qualquer outra pessoa mesmo eu estando ao lado.
Algumas vezes meu marido fica com ela no banheiro quando estou no banho só para ela me ver.
A maternidade é algo maravilhoso e ao mesmo tempo é uma caixinha de surpresa, por mais que não sejamos marinheiras de primeira viajem. A verdade é que um filho nunca é igual ao outro. FATÃO!! Claro,  né? Ninguém é igual a ninguém, mas a verdade é que achamos que bebês são iguais (eu achei que seria), mas não é não.
A Letícia sempre foi agarrada comigo, mas a Bia superou! kkkk....
É gostoso sim, mas cansa, cansa demais! Ainda não voltei a trabalhar direito e não faço nada, nada sem ela.
Um dia fui arriscar, marquei unhas e deixei com meu marido e minha sogra. Fiquei mais ou menos 1:30hs fora de casa, amamentei antes de sair e fui achando que ia dá certo, quando cheguei, ela estava aos prantos, com o rosto tão vermelho que deu dó. Ficou quase 40 minutos mamando depois disso, é mole? Faz parte né? Logo passa!

Vou tentar passar mais vezes por aqui!!
Me contem suas experiências?

Beijos,

Carol

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Sobre amamentação - Pouco leite, o que fazer?



Passei por muita coisa pra conseguir amamentar e sou muito feliz por isso. Desde então sempre tento ajudar alguém que esta passando por essa dificuldade, que é grande, eu sei!
Creio que a maioria das mães querem amamentar seus filhos, mas nem todas conseguem e muitas vezes por falta de informação.
Eu também não consegui amamentar a Letícia (minha primeira filha, que hoje tem 6 anos), senti muita dor e logo dei o complemento, e deixei de dá o peito. Eu sentia dor e não queria dá, mas no fundo eu queria, entendem?
Já com a Bia foi tudo bem diferente, eu queria dá e me propus a fazer o possível e para conseguir. Senti muita dor, tive febre algumas vezes, rachaduras e quase desisti também, mas eu sabia que era possível e fui vencendo a cada dia e consegui, hoje com quase 5 meses a Beatriz só toma leite materno em livre demanda, esta super saudável e muito linda! :) (a mamãe é coruja mesmo), rs....
A Letícia também sempre foi um bebê saudável, graças a Deus e também é e sempre foi muito linda (mamãe coruja, desde sempre, rsrs...), mas confesso que sempre pensava que podia ter a amamentado também, seria muito melhor e sem contar que seria bem mais barato, e como!
O que eu queria mesmo falar uma das maiores dúvidas que vejo surgir na cabeça da mãe que começa amamentar: Será que tenho leite suficiente? Será que meu leite esta alimentando meu bebê?
Na maioria das vezes esta sim! Uma pena que muitas mamães por não saberem disso, desistem de amamentar seus filhos com seu próprio leite (que é o melhor) e passam alimenta-los com leite artificial, e logo a falta de sucção do bebê, faz diminuir a produção de leite.

A impressão de que há pouco leite é falsa quando se diz respeito ao seio que não esta mais super cheio ou quando ele pára de vazar. Isso é totalmente normal. O que acontece é que esses são sinais naturais que o corpo se adaptou a demanda de produção de leite do bebê.
O bebê também passa por momentos em que precisa mamar mais do que antes e isso faz com que a mãe ache que não esta tendo leite suficiente para alimenta-lo por conta da solicitação do bebê em mamar mais vezes, mas isso não significa que a mãe não tenha leite, ao contrário, quanto mais mamadas mais produção de leite.
Entretanto, existe sim alguns raros casos que a mulher não esteja produzindo o leite necessário, mas só acontece em 2% das mulheres, é muito pouco.

A produção de leite geralmente é boa, o problema geralmente esta na entrega do leite porque o bebê não pega direito o seio e isso dificulta.

A produção de leite pode diminuir quando o amamentar dói, quando os mamilos estão rachados e feridos quando o bebê dorme muito e precisa de incentivo para mamar, quando o bebê chupa chupeta e reduz o tempo de mamada e o estresse também pode prejudicar, portanto mantenha-se calma.

O que fazer para aumentar a produção de leite?


  • Deixar o bebê mamar a vontade.
  • Evitar a chupeta para que o bebê passe mais tempo sugando o seio.
  • Invista em informação e treino para que o bebê tenha uma pega (toda a auréola) 
  • Beba muitaaaaa água! Se manter hidrata é muito importante para a produção de leite.
  • Existem medicamentos que também ajudam, mas isso é com o médico, procure o seu se fizer todo o possível e ainda sim não estiver produzindo leite suficiente para o seu bebê.

Essas são algumas dicas baseadas na minha experiência e na muitas leituras que fiz por busca de informação.
Espero ter ajudado!

Persiste! Não desista!

Um abraço,

Carol








segunda-feira, 7 de julho de 2014

O que não falar para seu filho

Dicas muito importantes para o desenvolvimento psicológico das crianças.


1 – Não rotule seu filho de pestinha, chato, lerdo ou outro adjetivo agressivo, mesmo que de brincadeira. Isso fará com que ele se torne realmente isso.
2 – Não diga apenas sim. Os nãos e porquês fazem parte da relação de amizade que os pais querem construir com os filhos.
3 – Não pergunte à criança se ela quer fazer uma atividade obrigatória ou ir a um evento indispensável. Diga apenas que agora é a hora de fazer.
4 – Não mande a criança parar de chorar. Se for o caso, pergunte o motivo do choro ou apenas peça que mantenha a calma, ensinando assim a lidar com suas emoções.
5 – Não diga que a injeção não vai doer, porque você sabe que vai doer. A menos que seja gotinha, diga que será rápido ou apenas uma picadinha, mas não engane.
6 – Não diga palavrões. Seu filho vai repetir as palavras de baixo calão que ouvir.
7 – Não ria do erro da criança. Fazer piada com mau comportamento ou erros na troca de letras pode inibir o desenvolvimento saudável.
8 – Não diga mentiras. Todos os comportamentos dos pais são aprendidos pelos filhos e servem de espelho.
9 – Não diga que foi apenas um pesadelo e mande voltar para a cama. As crianças têm dificuldade de separar o mundo real do imaginário. Quando acontecer um sonho ruim, acalme seu filho e leve-o para a cama, fazendo companhia até dormir.
10 – Nunca diga que vai embora se não for obedecido. Ameaças e chantagens nunca são saudáveis.



Fonte: http://blog.playkidsapp.com/

Resultado do Sorteio

Olá meninas!!

Saiu o resultado do sorteio. Oba!!!

Eu gostaria muito de agradecer a participação e colaboração de todas.
Muito obrigada! 
Obrigada aos blogs que me ajudaram a divulgar, foi um sucesso!
Em breve (muito em breve) vai rolar mais sorteios com parceria.
Não deixem visitar e conferir as postagens.


Parabéns a sortuda Barbara Domingues, estou entrando em contato para o envio do produto.

Abraços!

Carol (mãe de duas)






domingo, 6 de julho de 2014

Brigar na frente dos filhos causa danos

Brigar na frente dos filhos é muito complicado e pode causar danos terríveis.
Eis uma matéria do site UOL que explica bem isso:

"Não entrar em discussões acirradas na frente dos filhos deveria ser regra para todos os pais, mas, na prática, nem sempre é assim. Na hora em que os ânimos se exaltam, é difícil moderar a raiva e as palavras. Mesmo que tudo volte às boas depois, essas ocasiões podem deixar marcas profundas nas crianças. "Os adultos deveriam pensar sempre duas vezes antes de agir, porque a criança sempre precisa ser preservada", afirma a psicóloga infantil Daniella Freixo de Faria, de São Paulo (SP).

De acordo com a psicóloga Susana Ório, também da capital paulista, para qualquer faixa etária sempre é muito sofrido presenciar as desavenças. "Quando os pais brigam, os filhos vivenciam um sentimento de ameaça. Os menores, de dois a quatro anos, não conseguem compreender o que está acontecendo. Por isso ao ver os pais discutindo, se sentem abandonados", conta. A criança não entende porque os pais estão brigando, principalmente quando os assuntos têm relação com finanças ou ciúme.

Segundo a psicóloga Miriam Barros, de São Paulo (SP), especialista em terapia familiar, nessa faixa etária, a criança é muito autorreferente e acredita que todas as coisas que acontecem na família têm a ver com ela. "No caso da briga dos pais, elas normalmente acham que são culpadas", diz. Como nessa idade os filhos ainda não têm repertório para expressar o que sentem nem capacidade de entender os problemas dos adultos, podem desenvolver sintomas físicos ou psíquicos para conseguir lidar com a tensão. O terror noturno, por exemplo, é bastante comum.
Você costuma ter brigas de casal na frente dos seus filhos?

Sim. Infelizmente, é difícil evitar.
Não. Sempre discutimos a sós.
Às vezes. Evitamos bastante, mas tem horas que é impossível segurar.

Entre cinco e oito anos, a criança já começa a entender e verbalizar o que está sentindo. É comum dizer aos amiguinhos que acha que os pais vão se separar, contar que estão brigando. "É uma fase em que a criança vai querer cuidar do pai e da mãe, pedir para que eles não briguem, pedir que se beijem... E também desejar ficar em casa para não deixar que os dois discutam", comenta Susana, que afirma que depois dos nove anos de idade há uma percepção maior dos conflitos.

Dependendo da frequência com que as discussões ocorrem, muitas crianças chegam a comentar na escola que seria melhor que os pais se separassem, pois não suportam mais tanto estresse. "Quanto maior a criança, mais ela costuma fazer suas próprias interpretações, defendendo um ou outro de acordo com a própria opinião", completa Luciana Barros de Almeida, presidente da ABPp (Associação Brasileira de Psicopedagogia).
Aprendizado negativo

Seja qual for a idade, porém, é fato que a criança que assiste constantemente aos embates familiares se torna mais tensa, triste, abatida e apática, o que acaba afetando, também, o rendimento escolar. A tensão familiar compromete sua visão sobre os relacionamentos amorosos entre os adultos. "Ela pode entender que a relação conjugal é algo ruim e assimilar isso para sua vida adulta", diz Luciana.

Muitas crianças chegam a falar que não querem se casar nem ter filhos quando crescerem, numa demonstração clara de que não pretendem passar de novo pelo sofrimento que vivenciam no dia a dia.

Segundo a psicóloga Suzy Camacho, autora do livro "Guia Prático dos Pais" (Ed. Green Forest), brigar na frente dos filhos funciona como uma espécie de curso prático sobre a convivência a dois. "Há o risco de as crianças reproduzirem, mais cedo ou mais tarde, no relacionamento com os amiguinhos ou na vida adulta, os gritos, o tipo de palavreado, os gestos, as ofensas... Poucas são as que fazem o caminho oposto e evitam repetir aquilo que presenciam os pais fazendo", declara.

As palavras que um diz ao outro podem moldar a imagem que a criança tem do pai ou da mãe. É preciso cuidado com xingamentos e termos que desqualificam. Quando o pai humilha a mãe, por exemplo, a mensagem transmitida é de que uma mulher não merece ser respeitada. E se a mãe tem mania de falar que o parceiro é folgado ou preguiçoso, a própria criança pode passar a usar essas palavras para se referir ao pai, já que as ouviu com frequência e as assimilou como verdade absoluta.
Situação sob controle

Os ânimos se exaltaram e as crianças ficaram nervosas? Respire fundo e tente acalmá-las, explicando que a discussão não tem nada a ver com elas –mesmo que o motivo seja alguma divergência no modo de educá-las. É imprescindível agir de modo que os filhos não se sintam culpados pelo ocorrido.

"E mais: peça desculpas. Fale que lamenta ter brigado com o papai ou com a mamãe e que sente arrependimento. Explique ainda que adultos às vezes perdem a paciência, porque se relacionar é difícil, mas que vocês se amam, vão resolver tudo juntos e que eles não precisam se preocupar", declara a psicóloga infantil Daniella Freixo. "Só não tente fazer de conta que não houve nada, pois isso é cinismo e confunde a criança. Ela aprende que não pode confiar nas próprias percepções", conta Suzy.

A forma mais sensata de poupar os filhos é mesmo conversar a sós, com tranquilidade e objetividade, e, de preferência, longe dos olhares e ouvidos das crianças. "Trancarem-se no quarto pode até ser uma forma de manter o controle para não discutirem na frente da criança. Porém, de nada adianta se os dois se exaltarem ao ponto de, do lado de fora, todos escutarem o que está sendo falado", diz Luciana de Almeida, da ABPp.

"Ficarem sem se falar para evitar atritos também não é bom, porque mantém um clima de tensão a maior parte do tempo gerando mais ansiedade", afirma Miriam Barros. Além disso, um período de silêncio muito longo sinaliza falta de maturidade para resolver os próprios conflitos.

Existe um jeito ideal de resolver as coisas se as crianças estiverem por perto? "Depende do assunto. Se for apropriado para as crianças ouvirem pai e mãe podem até tentar resolver, mas mantendo o respeito entre o casal. Mas a maior parte dos assuntos não deve ser discutida na frente das crianças", explica Miriam.

Ainda que o par esteja atravessando uma crise conjugal com possibilidade de resolução, os filhos devem ser poupados. Os pais devem responder –de uma forma compreensível, claro– se os filhos fizerem perguntas, mas não é necessário se antecipar e abrir uma intimidade que eles não são capazes de absorver.

"Toda relação passa por ajustes e momentos de crise. O importante é que o casal procure, desde o início, fazer um pacto de respeito para que não magoem um ao outro nem os filhos. Dá trabalho, claro, é algo a se fazer dia a dia, mas é necessário. A família só ganha com isso", diz Daniella."

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Caspas ou crostas nos bebês.




Seu bebê tem caspas?
A Beatriz tem! O pediatra sugeriu não mexer e esperar até a consulta dos 5 meses e então vamos esperar.

As caspas em bebês trata-se de uma tal de dermatite seborréica, que pode surgir nas primeiras semanas de vida do bebê e que tem a cor amarelada ou marrom que ficam no couro cabeludo.
Costumam sumir até 4 meses (por isso o pediatra pediu para esperar).
Parece ser causada pela passagem de hormônios maternos para o bebê e esses hormônios estimulam maior atividade das glândulas sebáceas.
Li que usar óleo de amêndoas antes do banho e passar um pente fino com cuidado ajuda a retirar as crostinhas, mas o pediatra da Beatriz falou para eu não passar nada, e como eu sou obediente e confio nele, vou esperar.
Lembro que a Letícia também teve essas caspas, em menor quantidade do que a Beatriz esta tendo e o pediatra na época receitou um shampoo que não me lembro o nome, mas tinha dado certo.
Bem, me resta esperar!

E seus bebês também tem caspinhas? O que usaram?

Abraços,

Carol



Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor. Romanos 14:8

Casa arrumada??



A verdade é que desde que a Beatriz nasceu nunca mais minha casa ficou arrumada. E confesso que isso as vezes me dá nos nervos, mas estou tentando me manter calma e me acostumar com a ideia que nada é como era e vou precisar me adaptar novamente a minha falta de tempo para quase tudo!
Não tenho ninguém para me ajudar nas tarefas domésticas do dia a dia. Sou eu quem faço tudo em casa, com exceção a limpeza pesada (faxina), que ai não dá mesmo, porque requer muito tempo (geralmente o dia todo, né?), mas o resto tudo eu faço e tudo doses homeopáticas.
Tento seguir uma rotina, mas nem sempre dá.
Aproveito todos os momentos de cochiladas dela e vou ajeitando uma coisa e outra, acontece que ela dorme muito pouco a tarde (ela só cochila), então tem dias que fico muito sobrecarregada. Tem horas que a coloco no sling para fazer as coisas com ela no colo mesmo, mas nem sempre tudo dá pra fazer (por exemplo: cozinhar!!) e tem horas que a coloco no carrinho pra fazer outras coisas e as vezes dá pra fazer muitas coisas, mas ela geralmente pede um colinho (e como chora), rs...
Confesso que já foi pior, agora ela se distrai com brinquedinhos e com conversas.
Gosto muito de ver minha casa arrumada, mas estou entendendo que não dá, e não dá mesmo é para pirar com isso né?
Logo logo ela cresce e o que eu preciso mesmo é de curti-la e isso eu faço, faço muito!
Meu marido tem feito toda a diferença também. Quando esta em casa sempre me ajuda com as meninas e sempre me relaxa com palavras de tranquilidade e isso é muito bom.
Casa arrumada? Não, não, mas a felicidade mora aqui!
E você tem uma rotina?
Me conte sua experiência!!


Bom é o sal; mas, se o sal se tornar insípido, com que o temperareis? Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros. Marcos 9:50

terça-feira, 1 de julho de 2014

Teste da linguinha

No último dia 20 de junho foi sancionada, e começa a valer em 180 dias, a lei 13.002/14 que obriga a realização do  "teste da linguinha" em recém-nascidos.

É um teste muito importante a ser feito aos bebês porque tem objetivo identificar problemas que podem levar a dificuldades bioneurológicas na fala, sucção, deglutição e mastigação.
O teste identifica a necessidade de cirurgia para  possíveis correções de irregularidades na estrutura que liga a parte inferior da língua à boca.
Uma das vantagens do teste para os recem nascidos é que pode verificar alguma dificuldade para amamentação que pode ocorrer por causa da falta movimentação da língua.

Funciona assim:


Achei muito vantajoso e importante e vocês?

Abraços


Carol




Uma 

segunda-feira, 30 de junho de 2014

1º Sorteio do blog

Oi gente!!! Vim falar de coisas boas: Sorteio!!! Eba!! Toda mãe merece ficar bonita e então para promover o blog eu vou sortear o primer para olhos da Mary Kay esse aqui:

 As regras são bem simples: Basta ter endereço para o envio no Brasil, ser seguidor do blog e preencher o formulário abaixo. Simples né? Então vamos lá? O sorteio vai acontecer no dia 07/07/2014 ou assim que completar 150 seguidores. Então corre e compartilha para o sorteio acontecer logo!

 Abraços, Carol

Um desabafo sobre o preconceito e a maldade





Vou falar sobre um algo que realmente me deixa estarrecida e triste!
O preconceito, a maldade e a prepotência de pessoas que se julgam melhores que os outros, isso é lamentável.
Existe um grupo que gosta muito de apontar o dedo e julgar as pessoas que optaram por fazer cesariana e eu mesmo sofri com isso em alguns grupos no facebook quando dizia que iria fazer cesariana.
Agora estão detonando a Sandy por conta disso.
Fico indignada! Quem são essas pessoas? Porque querem mandar na vida dos outros? Porque acham que ferir os outros vai mudar alguma coisa?
Prestem atenção ativistas radicais (que maltratam os outros), vocês não são melhores que ninguém e nem vão mudar o mundo com sua agressividade, se não for por amor, não adianta que não vai fluir. 
Parabéns aqueles que sabem informar e expor suas ideias com firmeza sem precisar machucar e pisar em ninguém, mas infelizmente não é o que tenho visto por ai.
Lamentável! Só o amor muda e transforma.


E você já sofreu com isso?
O que acha?

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Bia com 4 meses

O tempo voa mesmo!
A Beatriz já tem 4 meses e muita coisa mudou pra ela e pra mim também.
Veja só, eu já estou até tendo tempo de escrever (devagar).
Ela já não fica tanto tempo requisitando o peito e já tem algumas rotinas de horário de sonecas, é um bebê muito risonho e essa semana gargalhou pela primeira vez com irmã. (eu e o meu marido, ficamos babando, rsrs...) Muito linda!
Presta atenção em tudo e agora até para de mamar para olhar os barulhos que estão em volta.
Ela é apaixonada pela irmã, não pode vê-la que ri e se balança toda.
Já senta (meio joão bobo) mas é toda durinha.
Já consegue segurar alguns objetos com as mãos e tudo leva para a boca.
Vire e mexe esta de bruços e agora quer dormir assim, eu sempre tenho que desvirá-la.
Balbucia muitas palavras e até dá uns gritinhos.
É muito bom ver o desenvolvimento do nosso bebê, não é?

E o seu bebê o que faz?





quinta-feira, 19 de junho de 2014

Bíblia em ação (leitura para o pequenos)

Desde pequena a Letícia queria aprender a ler porque sempre adorou livros e queria lê-los. Aprendeu depressa. Agora com 6 anos ela lê fluentemente e muitas vezes chego ao quarto ela esta lendo seus livrinhos.
Com influência minha, que adoro ler também, sempre que posso compro novos livros e dessa vez comprei uma Bíblia "irada" - Bíblia em Ação (eu sei que sou suspeita porque amo bíblias, mas essa é irada mesmo), toda em quadrinhos e muito bem ilustrada e ajuda muito na compreensão. A Letícia amou e eu ainda mais de vê-la tão dedicada a leitura e ainda mais por ser a Palavra de Deus.
Comprei na CPAD e custou R$ 54,90






sábado, 14 de junho de 2014

Abraços Mágicos


Hoje quero falar sobre uma campanha muito linda que uma amiga esta fazendo com as artesãs amigas (e não artesãs também, basta ter boa vontade e querer ajudar). 
A campanha é: Cada artesã (o) ou não (quem quiser) fazer um casal de bonecos dos abraços mágicos para presentear às crianças com cancer do Hospital dos Servidores (Aquário Carioca).
Vale a pena nos mobilizarmos para fazermos sorrisos brotarem no rosto dessas lindas crianças que passam por um grande sofrimento.
Vale a pena levarmos nosso abraços através desse bonecos.
Vale pena mostrar que nos importamos.

Se você quer participar entre em contato comigo para eu passar o endereço da entrega, através do meu email: carolpsicologia@msn.com 

O prazo para entrega é: Início de outubro porque será entregue a eles no dia das crianças.

Se você artesã ou leva jeito ou quer ajudar ou tem uma amiga que é entre nessa campanha e faça uma criança sorrir.

Eu como não sei fazer, e colaborei com o material para minha mãe (que é artesã) fazer. Então quem quiser ajudar com o material também pode.

Aqui estão os moldes: http://www.feltrossantafe.com.br/moldes-abracos-magicos/

Espero conseguir muita ajuda com essa campanha linda.

Abraços Mágicos,

Carol


Vai ter Copa! Você vai torcer?

Eu não queria que Copa do mundo fosse aqui no Brasil, porque nosso país vai de mal a pior, mas não adiantou o nosso querer (da maioria do brasileiros). A Copa esta acontecendo e é aqui no Brasil, então vamos torcer sim, vamos gritar gol sim, e isso não vai mudar nossa opinião em relação ao que pensamos sobre o governo do país, então a hora de fazermos a diferença é em outubro, nas urnas! É lá que devemos mostrar que somos brasileiros com muito orgulho, com muito amor! É lá que devemos lutar por um país melhor.
Tenho duas filhas que são brasileirinhas e querem torcer (a bebê não entende, mas já vestiu a camisa) e não seria nada justo com elas (principalmente a mais velha, que tem 6 anos) não deixarem viver esse momento histórico, que é a Copa sendo sediada no Brasil. 
A Letícia que tem 6 anos, já viveu uma Copa aos 2 anos, mas ela não lembra quase nada e por isso agora ela esta muito animada e eu como mãe estou muito animada por ela e sem hipocrisia pelo Brasil também.

Eu já estou na torcida, e minha família também!

E vocês estão torcendo também?




segunda-feira, 26 de maio de 2014

Shantala - Massagem em bebês



Depois que a Bia ficou uma semana sem evacuar eu andei buscando formas de ajudá-la e cheguei ao Shantala. Já tinha ouvido falar, mas nunca tinha procurado saber no profundo. Gostei!
Comecei a fazer na Bia e confesso que é um momento maravilhoso para nós duas. Ela fica muito alegre naquele momento em que esta sendo tocada e eu fico muito satisfeita.
Sempre faço as massagens antes do banho com um óleo para bebês é uma delícia.

Alguns benefícios da massagem nos bebês:


  • Previne cólicas, prisão de ventre e insônia
  • Relaxa e melhora o humor
  • Atua diretamente no desenvolvimento psicomotor
  • Contribui para o contato afetivo
  • Etc
Ainda não vi resultado em relação ao sono, já a Bia é um bebê muito ativo (ela não dorme durante o dia), mas ainda esta recente, entretanto em relação a prisão de ventre já tivemos um bom resultado.


E você conhece? Pratica no seu bebê?

sábado, 24 de maio de 2014

Dormir de bruços?

Porque não colocar o bebê para dormir de bruços?

Porque pode sufocar já que o bebê ainda não consegue sustentar muito bem a cabeça, mas não é só por isso, existe a Síndrome da Morte Súbita, que não tem uma causa bem definida, mas que ocorre durante o sono dos bebês e é um dos maiores fatores de morte de bebês de até um ano.


No site: http://guiadobebe.uol.com.br/ há uma explicação para isso:

Profissionais da área de saúde analisam a ligação entre o modo como o bebê dorme e casos de morte súbita durante o sono.
Uma campanha lançada pela Pastoral da Criança, estruturada por uma pesquisa realizada na cidade de Pelotas e por campanhas e pesquisas internacionais, como EUA e Inglaterra, diz que colocar o bebê para dormir de barriga para cima diminui em 70% a morte súbita no bebê.
Isso tem explicação: o bebê que dorme de lado ou de bruços respira o mesmo ar que expira, isto é, o bebê inala um ar rico em gás carbônico e pobre em oxigênio, realizando uma asfixia, onde o bebê fica sem oxigênio podendo chegar ao óbito.
Isso tem explicação: o bebê que dorme de lado ou de bruços respira o mesmo ar que expira, isto é, o bebê inala um ar rico em gás carbônico e pobre em oxigênio, realizando uma asfixia, onde o bebê fica sem oxigênio podendo chegar ao óbito.
Os adultos também passam por isso, mas diferentemente dos bebês, os adultos mudam de posição quando ficam sem oxigênio suficiente. Por isso, a maior parte das mortes súbitas acontecem em bebês de 2 a 4 meses, podendo ocorrer desde o nascimento até por volta do primeiro ano.
A questão sobre o modo ideal de colocar a criança para dormir é controversa. Muitas mães têm medo de colocar o bebê dormindo de barriga para cima, pois podem engasgar com o próprio vômito.
No entanto, Cesar Victora, doutor em Epidemiologia, pesquisador da Universidade Federal de Pelotas e coordenador do Comitê de Mortalidade Infantil da cidade de Pelotas, ressalta que é preferível o bebê estar sujeito a sofrer engasgamento do que correr risco de morte.
Ao engasgar, o bebê tem o reflexo da tosse, que logo chama a atenção dos pais. Já inalando um ar rico em gás carbônico, o bebê está sujeito a morrer “silenciosamente”.
Para evitar os riscos:
  • Não superaqueça o bebê. Evite os muitos agasalhos.
  • Deixe os braços por cima da coberta para evitar que lhe cubram o rosto e o sufoque
  • Não deixe bichinhos de pelúcia, travesseiros, paninhos, almofadas, etc, pois podem sufocar o bebê. 
  • Exposição do bebê ao fumo ou fumaça do cigarro durante a gestação e depois do nascimento. Bebês que as mães fumaram durante a gestação tem três vezes mais chances de morte súbita.
  • Prematuridade ou baixo peso ao nascimento
  • Evitar dormir com bebê na mesma cama, pois isso tem risco de sufoca-lo.
  • O não aleitamento materno. O leite materno é digerido facilmente pelo organismo do bebê evitando, e muito, a regurgitação.
Ler tudo isso assusta né? Eu fiquei um pouco assustada, mas é informação é precisamos estar atentas para e evitarmos o erro.
A maior proteção que podemos dá em relação a isso é orarmos por nossos filhos e o Senhor Deus, os guardará de todo mal, amém!
Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.


Aniversário do meu amor!



Hoje é aniversário do meu grande amor, meu parceiro, amigo e pai da minhas meninas e eu desejo a ele toda felicidade que Jesus pode proporcionar na vida do homem e isso significa a felicidade plena.
Que esse dia seja especial e feliz, mas não só esse dia, mas todos os dias da vida.
Amo você meu amor!

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Prisão de ventre?


Como a Bia fica períodos sem evacuar, (as vezes dois dias e já chegou a ficar 4 dias) eu andei pesquisando a respeito, mesmo sabendo que é normal porque não sou mãe de primeira viajem e o antigo pediatra da Letícia já havia me orientado, preferi pesquisar só por desencargo de consciência.
Acontece que o bebê não precisa fazer cocô todos os dias. E mesmo o bebê que antes fazia cocô várias vezes no dia (como era o caso da Bia) pode começar a fazer uma ou duas vezes na semana isso é normal, mesmo sendo alimentado somente com leite materno.
O importante é ver consistência do cocô, que não pode ser duro e nem seco demais. É importante também perceber se o bebê não está se sentindo incomodado ou com dor, ao contrário esta tudo bem.

Relato: Bia esta doentinha, com bronquiolite e me deixou bem preocupada, mas agora esta medicada e já já se recupera!

Abraços,

Carol

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Sorrisos e mais sorrisos

Quase aos 3 meses Beatriz já é toda sorrisos. É notável que ela é um bebê feliz e isso compensa todas os cansaços, dores, febres, noites mal dormidas e estresses.
Vê-la evoluir é maior alegria e a cada dia quando me renovo ao vê-la sorrir.
Seu sorriso a cada manhã me faz levantar pronta para mais um dia, onde não terei tempo de fazer quase nada pra mim e pois será totalmente dedicado a ela e a Letícia, mas vivo os dias mais felizes da minha vida.
Amo ser mãe!
Eu vivo algo diferente do que vivi com a Letícia, pois a amamento e não amamentei a Letícia, e isso é muito legal. Agora a Bia, ao mamar me fita os olhos e quando converso com ela, ela pára de mamar e sorri. Que mágico! Que lindo! É muito amor!

#mãededuas
#minhasprincesas

quarta-feira, 30 de abril de 2014

O que não comprei mas senti falta

Apesar de não ser mãe de primeira viajem, na gravidez da Beatriz eu me vi totalmente perdida sobre o que deveria comprar ou não.
O problema é que gravidez da Letícia, por se tratar de ser a primeira (e não ter experiência)  eu saí comprando tudo o que achava importante e muitas coisas foram desnecessárias, então na Beatriz eu não quis cometer o mesmo erro, mas acabei falhando em algumas coisas.
Primeira delas foi a cadeira para amamentação, para quem amamenta no peito é muito importante estar mais confortável possível e isso pesou pra mim depois que ela nasceu e já não estava no orçamento. (Já era!)
Segundo foi o sling (canguru), porque minha pequena Beatriz quase não dorme durante o dia e precisando fazer as coisas com ela no colo, com o sling seria muito mais fácil, eu não comprei, mas acabei ganhando agora, com ela com 2 meses e posso dizer que é uma maravilha! Já usei até no shopping e foi ótimo para andar, pagar contas, ter as mãos livres. Recomendo!
Terceiro foi a babá eletrônica, bobeiei e acabei não comprando e esta fazendo falta agora porque as vezes ela esta dormindo e preciso fazer as coisas em outro cômodo da casa com a babá fica mais fácil, principalmente as que tem câmera. Eu tive na época da Lele, mas acabei não me importando dessa vez. (Ainda dá tempo)
Quarto é a bomba elétrica (tirar leite), tive febre por conta de empedramento do leite 3 vezes e realmente isso me deixou muito mal, com a bomba elétrica ajudaria muito esvaziar os seios para não acontecer isso. (ainda penso em comprar, para deixar leite armazenado, caso eu precise sair e deixa-la em casa.)

Fica a dica!

Abraços

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Sobre o amamentar – Concha de amamentação eu recomendo!

Só posso dizer uma coisa: a concha para amamentar é uma boa sim! Funciona e funcionou comigo e se não fosse por ela, eu teria desistido de amamentar e posso dizer com firmeza e sem culpa, que eu quase desisti, apesar de estar muito triste, por tal decisão, mas o sacrifício era grande demais e dor física estava me deixando deprimida, e quando ela foi minha última tentativa, eis que deu certo! Oh!! Porque não usei antes?! Não importa! Importa que hoje oferecer o seio para minha filha não me deixa nervosa, nem triste, mas feliz e aliviada! Recomendo!!!!!!!

Postei isso no meu grupo de grávidas e mamães do Rio de Janeiro, no facebook (https://www.facebook.com/groups/143709195828928/) e agora vim falar melhor aqui.

A concha de amamentação foi o que me ajudou de verdade conseguir amamentar a Beatriz.
Já cheguei da maternidade com os seios levemente rachados e não demorou muito para estar com uma dor insuportável (quem já viveu isso sabe  do que estou falando), mas a diferença estava na vontade que eu tinha de amamentar (que não foi o caso da Letícia – não que eu não quisesse, mas não me esforcei, não foquei, mas isso é assunto pra outro post). Eu amamentava com dor mesmo, sangrando, chorando, mas eu dava assim mesmo, e olha que a menina mamava muito heim! E mama até hoje, rs... Chegou a um ponto que estava demais, eu estava indo além do que eu podia e isso não vale né? Um dia liguei pra minha mãe pedi pra trazer alguma pomada para seios e ela trouxe, ajudou, mas ainda não continuava doendo muito. Já tinha ouvido falar das conchas e inclusive tive boas recomendações, mas também vi gente falando mal e por isso que não comprei, fique na dúvida, porém na altura do campeonato eu resolvi recorrer a ela. Alias para mim era a última alternativa, ou então eu ia desistir! Ia dá a mamadeira e fim da dor. Liguei para o meu marido e o pedi para comprar e foi batata! Comecei usar a tarde e a noite eu estava amamentando sem chorar, doía claro, afinal o seio ainda estava ferido, mas não chorava, não estava sangrando e estava melhorando as rachaduras, ufa! Com o passar dos dias foi só melhorando, até que amamentar não era mais um sacrifício, mas algo natural como é hoje. Não tenho medo mais daquela boquinha nervosa vindo em minha direção, rsrsrs...
As conchas no meu caso foram a solução para conseguir amamentar como eu tanto queria. Por isso recomendo.
Existe a necessidade de se ter uma boa higienização com elas porque a gordura do leite fica grudado nelas, mas lavando e fervendo todos os dias, não há problemas com isso.

Eu usei da marca Amamente e custaram R$ 38,00 em fevereiro, mas existem muitas outras marcas e preços no mercado.